Utilizamos cookies e tecnlogias semelhantes a fim de melhorar sua experiência no site. Ao continuar você concorda e aceita nossa  Política de Privacidade  

ANÁLISES & NOTÍCIAS SOBRE VEÍCULOS COM EMISSÃO ZERO

HOME CARROS MOTOS BIKES TECH MERCADO RACING STARTUPS CONTATO PESQUISAR

Na "Batalha das Autonomias", Hyundai divulga 1026 Km percorridos por Kona totalmente original

Montadora sul-coreana levou três Konas à pista de Lausitzring e SUVs superaram os 1000 Km com apenas uma carga completa

Por |
Segundo a Hyundai, a meta para o teste era chegar aos 1000 Km, superados pelos três Konas em Lausitzring – Foto: Divulgação Hyundai

A “Era das Batalhas das Autonomias”. Soa apelativo, é verdade. Porém, dada a correta dimensão, resume bem o momento da indústria automotiva eletrificada. Na quinta-feira (13) a Hyundai divulgou nota informando a marca de 1026 Km com apenas uma carga completa de bateria percorrida por um (de três) Kona em medição realizada na pista oval de Lausitzring (Alemanha). Antes de examinar as circunstâncias, cabe relembrar histórico recente.

Primeiro, no início do ano, a Xpeng anunciou a versão Super Long Range do sedã P7 como capaz de rodar então impressionantes 706 Km com uma carga completa. Meses depois, em 11 de agosto, a Lucid Motors divulgou que o Lucid Air rodou 832 Km em testes realizados nos Estados Unidos. Dois dias depois, a Hyundai comunicou os 1026 Km.

Autonomia é um dos principais fatores na escolha de um carro elétrico. Já que uma das barreiras para a transição de clientes para os elétricos é o receio de falta de energia num deslocamento. A sensação tem até até nome: range anxiety.

Por isso, além do empenho nos avanços técnicos em autonomia, as montadoras vêm dedicando esforço equivalente para divulgar quilômetros com cada watt extraído do conjunto de baterias. Se as marcas publicitárias se reverterão efetivamente numa melhor experiência prática no dia a dia, é outra questão.

A Medição dos mais de 1000 Km

A Hyundai informou que três Hyundai Kona totalmente originais foram colocados na pista de Lausitzring (Alemanha). Ao longo de três dias, cada um percorreu respectiavmente 1,018.7, 1,024.1 e 1,026.0 Km. O circuito é operado pela empresa de inspeções Dekra, que de acordo com a montadora sul-coreana, supervisionou as atividades. Cada Kona foi guiado por uma equipe – uma da publicação Autobild e duas da própria Hyundai. Assim, ao todo, foram realizadas 36 trocas de motoristas em 35 horas.

Na medição, algumas informações chamam a atenção. Conforme imaginado, ar-condicionado e sistemas de entretenimento estavam desligados. Toda energia era utilizada para a propulsão. Apenas o sistema de iluminação diurna permaneceu ativado. E a velocidade na medição variou entre 29 km/h e 31 km/h. Segundo a Hyundai, para reproduzir a inércia do tráfego europeu.

A Hyundai não informou as datas, temperaturas, nem velocidade do vento exatas. Mas pelo que Zev.News apurou, as medições ocorreram na segunda quinzena de julho, entre os dias 22 e 24. No período, a temperatura na região alemã variou entre 14° e 25º. Cabe ressaltar: temperatura é fator determinante na performance das baterias. Por exemplo, em temperaturas negativas, a eficiência cai consideravelmente

Além da distância, a Hyundai informou que a marca estabelece recorde de eficiência para baterias de 64 kWh. Respectivamente, 6.28, 6.25 e 6.24 kWh por 100 Km. Bem abaixo dos valor padrão de 14.7 kWh por 100 Km no procedimento WLTP (Worldwide Harmonized Light Vehicle Test Procedure).

Conforme citado, para fins promocionais, cada metro por watt conta. Ilustrado no destaque dado pela Hyundai às centenas de metros percorridos pelos carros mesmo após as baterias zeradas nos marcadores.

Talvez, haja discussão quanto as condições da medição. Mas fato é: inegavelmente, a eficiência dos carros elétricos aumentou substancialmente desde as primeiras gerações do passado recente.

Embora autonomia seja fator chave entre os clientes considerando um elétrico, há aspecto extra crucial na decisão: capilaridade da rede de recargas. E a maioria das redes são operadas por terceiros. O que explica parcerias e o aquecimento do mercado puxado pela transição energética da indústria automotiva

TÓPICOS RELACIONADOS

EDITOR INDICA

RECEBA NOSSAS MATÉRIAS