Utilizamos cookies e tecnlogias semelhantes a fim de melhorar sua experiência no site. Ao continuar você concorda e aceita nossa  Política de Privacidade  

ANÁLISES & NOTÍCIAS SOBRE VEÍCULOS COM EMISSÃO ZERO

HOME CARROS MOTOS BIKES TECH MERCADO RACING STARTUPS CONTATO PESQUISAR

Faraday Future inicia fusão com Property Solutions em negócio estimado em US$ 3.4 bilhões

Startup de mobilidade elétrica projeta venda de 400 mil carros nos próximos cinco anos

Por |
Após anos de atraso, Faraday Future promete lançar o superlativo crossover FF 91 em até 12 meses concluída a fusão – Foto: Divulgação Faraday Future

No roteiro quase teatral de sua trajetória, a Faraday Future inicia novo capítulo: a abertura de capital na Nasdaq. Cogitada no período recente, nesta quinta-feira (28), a startup de mobilidade elétrica anunciou a fusão com a SPAC Property Solutions Acquisition Corp. Numa transação que fornecerá à Faraday Future receita bruta estimada em US$ 1 bilhão, e prevista para conclusão no segundo trimestre deste ano.

O montante resulta de aproximados US$ 775 milhões em ações e US$ 230 milhões vindos de conta gerida pela SPAC Property Solutions Acquisition Corp. A empresa resultante da fusão se chamará Faraday Future Inc. Com ações na Nasdaq negociadas sob o símbolo (ticker) “FFIE”. O valor patrimonial Faraday Future Inc está estimado em US$ 3.4 bilhões.

De acordo com a Faraday Future, o objetivo da transação é levantar recursos para, uma vez concluída a fusão, enfim lançar prometido o FF 91 nos 12 meses seguintes. O capital também apoiará o desenvolvimento da chamada tecnologia I.A.I (Internet, Autonomous Driving, Intelligence).

“Estamos animados pela parceria com a Property Solutions Acquisition. É marco importante na transformação de nossa empresa, alcançado com forte comprometimento de nossos colaboradores, fornecedores e parceiros na China e nos Estados Unidos, assim como na cidade de Hanford, Califórnia. Estou animado que a combinação de negócios permitirá lançar o definidor de classe FF 91, construído sobre a visão original de ajudar usuários e acionistas a serem parte da remodelação do futuro da mobilidade”, comentou Carsten Breitfeld, CEO da Faraday Future.

Definidor de classe refere-se à concepção superlativa do crossover FF 91, ao mesclar tecnologia, performance e luxo. A Faraday Future divulga 1.050 cavalos de potência e aceleração de 0 a 100 km/h em 2.4 segundos. Números imponentes, aliados à amplo espaço interno, com bancos reclináveis até 60°, e à experiência de usabilidade revolucionária – nos termos da startup - imersa em conectividade.

As projeções de vendas anunciadas pela Faraday Future são extremamente otimistas: 400 mil unidades acumuladas nos próximos cinco anos. Até o momento, a startup afirma possuir 14 mil reservas para o FF 91. E além do emblemático crossover, planeja lançar mais três modelos até 2024: FF 81 (2023), FF 71 (2024) e um veículo para entregas de última milha (2024).

Visão Zev.News

A trajetória envolvendo promessas, mudanças, atrasos e o ressurgimento da Faraday Future já foi detalhada em Zev.News. E considerando tal histórico, o movimento para tornar-se uma empresa listada na bolsa causa, no mínimo, surpresa.

Há muitas incertezas quanto ao futuro da Faraday Future. A startup originalmente californiana comandada por um CEO chinês ganha contornos de uma entidade globalmente fatiada. Com operações divididas entre a base (reformulada) em Hanford, produção numa fábrica parceira na Coreia do Sul, e segundo a Faraday Future, possibilidade de linha adicional na China.

Por sinal, a China parece cada vez mais presente na Faraday Future. No comunicado à imprensa sobre a fusão com a SPAC Property Solutions Acquisition Corp, sem especificar qual, Faraday Future informou uma montadora chinesa como investidora âncora (garantidora parcial) dos US$ 775 milhões.

Na mesma data, Reuters revelou Geely como o referido investidor. E ainda segundo a agência de notícias, mais do que possibilidade, a produção na China está em vias de se concretizar, com, justamente, Geely fornecendo o serviço.

Além da Geely, segundo o site chinês Tecnode, dois outros grupos chineses participaram da transação: Zhuhai Gree Group e Zhuhai Huafa Group. O consórcio formado pelas estatais investiu US$ 310 milhões.

Mais do que startup de carros elétricos, Faraday Future posiciona-se como desenvolvedora de tecnologias para o futuro da mobilidade. Com diversas patentes em áreas cruciais, como propulsão elétrica, conjunto de baterias e plataforma motriz modular. Ativos valiosos, e que no intrincado contexto em transformação da indústria automobilística, envolvendo até parcerias entre montadoras e empresas de tecnologia como Foxconn, pode lançar luz sobre os milhões apostados na Faraday Future.

TÓPICOS RELACIONADOS

EDITOR INDICA

RECEBA NOSSAS MATÉRIAS