Utilizamos cookies e tecnlogias semelhantes a fim de melhorar sua experiência no site. Ao continuar você concorda e aceita nossa  Política de Privacidade  

ANÁLISES & NOTÍCIAS SOBRE VEÍCULOS COM EMISSÃO ZERO

HOME CARROS MOTOS BIKES TECH MERCADO RACING STARTUPS CONTATO PESQUISAR

Saiba como Faraday Future ler suas mensagens de texto muda todo o futuro da indústria dos carros

Conectividade muda modelo de negócios das empresas de mobilidade, possibilitando além de atualizações e reparos, cobranças por serviços recorrentes

Por |
Nada de botões específicos, os cinco comandos instalados no volante do FF 91 poderão ser utilizados por todos os sistemas rodando no Infotainment – Foto: Divulgação Faraday Future

Leituras de mensagens de aplicativos como Whatsapp e compartilhamento de localizações em plataformas como Yelp são comportamentos cotidianos. E, de uma forma ou de outra, já feitos do interior dos carros. Ações que serão nativamente incorporadas ao sistema Infotainment do Faraday Future FF 91. A startup iniciou testes destes recursos em veículos rodando para implementação nas primeiras unidades do crossover elétrico, com previsão de entrega em 2022.

Numa primeira impressão, as funcionalidades podem não parecer tão inovadoras ou excitantes. Entretanto, ao analisar mais atentamente, antecipam a profunda revolução em curso na indústria dos veículos, como produtos e negócios.

Conectividade onipresente

Conectividade é recurso cada vez mais desejado pelos consumidores. Combinada aos avanços tecnológicos, tornam veículos além de meio de transporte, plataformas digitais. Numa analogia simplista, tablets gigantes sobre rodas, capazes de instalar aplicativos, transmitir todo o tipo de conteúdo e incorporar continuamente novas funcionalidades. Tudo via OTA – Over the Air, pelo ar. Ou melhor, pela internet. Sem qualquer conexão física e de modo imediato.

Esta a ponte para a mudança.

Conectividade total e nativa muda radicalmente as possibilidades de modelos e extensão dos negócios. Em suma, até hoje, montadoras operam da seguinte forma: vendem o veículo ao cliente e esperam recebê-lo de volta alguns depois para a próxima compra. Sim, há geração de receita por meio de reparos e manutenções. Mas o lucro destes serviços concentra-se nos concessionários e autorizados.

Conectadas, as empresas de mobilidade criam meio regular para negócios adicionais. Por exemplo, para usufruir todas as capacidades do NAD – sistema de direção autônoma desenvolvido pela NIO, os clientes precisarão desembolsar um taxa mensal adicional.

Adicione à conectividade direção autônoma e a velocidade da conexão 5G. E consumo de entretenimento, produtividade no habitáculo e troca de dados entre veículos ganham dimensões limitadas apenas pela imaginação dos empreendedores. Trata-se de um novo ecossistema. Não por acaso, mais do que uma startup de veículos elétricos, Faraday Future define-se como um ecossistema global de mobilidade inteligente compartilhada.

O conceito convenceu investidores. Conforme noticiado em Zev.News, Faraday Future iniciou a fusão com a SPAC Property Solutions Acquisition para listagem na Nasdaq. Apesar do histórico conturbado, parte dos investidores ainda acredita na capacidade da Faraday Future em entregar o seu conceito de mobilidade. Sintonizado ao futuro, o qual muitos creem que algumas montadoras tradicionais não conseguirão acompanhar.

TÓPICOS RELACIONADOS

EDITOR INDICA

RECEBA NOSSAS MATÉRIAS