Utilizamos cookies e tecnlogias semelhantes a fim de melhorar sua experiência no site. Ao continuar você concorda e aceita nossa  Política de Privacidade  

ANÁLISES & NOTÍCIAS SOBRE VEÍCULOS COM EMISSÃO ZERO

HOME CARROS MOTOS BIKES TECH MERCADO RACING STARTUPS CONTATO PESQUISAR

Rumo à edição 2022, versão Dakar do Audi RS Q e-tron completa testes na Espanha

Protótipo de autonomia estendida carregará marca elétrica e-tron no rally disputado na Arábia Saudita

Por |
Da concepção ao primeiro teste, passaram-se menos de 12 meses, e o tempo mostrou-se desafio adicional para viabilizar o projeto Audi - Foto: Divulgação Audi

A Audi definiu plano ambicioso para pesquisa e promoção da linha e-tron: disputar o Rally Dakar 2022, que será realizado na Arábia Saudita (1 a 14 de fevereiro). O protótipo ostentando a alcunha elétrica da marca está em fase avançada de desenvolvimento. E concretizou marco ao percorrer mais de 1.600 km por áreas desérticas da Espanha.

Os testes do RS Q e-tron Dakar começaram em 30 de junho, na cidade de Neuburgo de Danúbio, Alemanha. Após estas primeiras checagens, as sessões prosseguiram no meio de julho, em Magedburg, também na Alemanha, percorrendo trechos fora de estrada.

Para evoluir nas condições dos testes, Audi escolheu a Espanha. Onde nas imediações de Zaragoza o RS Q e-tron Dakar acelerou por áreas desérticas sob o calor de 34º à sombra. Nos trechos de cascalho com aproximadamente 16 km de extensão, atingiu 180 km/h, sem superaquecer.

Alternam-se nos testes os pilotos Stéphane Peterhansel, Mattias Ekström e Carlos Sainz. “Para o primeiro teste nas condições ideais para o carro, estou bastante feliz com comportamento do carro. Tive imediatamente uma sensação boa. Claro, ainda há ajustes a serem feitos, mas o ponto de partida é ótimo”, afirmou Sainz.

Embora carregue o nome RS Q e-tron, o protótipo é bastante diferente das versões de série. Tecnicamente, é um EREV (veículo com autonomia estendida) e não um BEV (puramente elétrico). É equipado com três motores elétricos originários da equipe Audi na Fórmula E. Um no eixo dianteiro, outro no traseiro, e o terceiro funcionando como gerador de energia para carregar o conjunto de baterias de 55 kWh (370 quilos). Este terceiro motor é movimentado por um motor a combustão Audi TFSI.

A razão para solução híbrida são as extensões dos trajetos diários, de até 800 km. Distância superior à autonomia prática caso o protótipo fosse movimentado puramente por baterias. E a operação de recarregar as baterias em tempo hábil no meio do deserto durante a prova seria impraticável.

O protótipo Dakar do RS Q e-tron pode entregar 500 kW (680 cavalos) de potência. Quanto desta potência será utilizada ainda em definição pela organização. Porém, Audi destaca característica que pode converter-se em vantagem nas areias sauditas:

Como os dois motores são independentes, sem eixos ou câmbio, a tração é controlada via software. O que além de economizar peso, proporciona precisão na divisão de potência entre os eixos e transmissão da potência das rodas ao solo.

A próxima fase de testes será realizada em setembro, quando o Audi RS Q e-tron Dakar pela primeira vez acelerará justamente nas dunas. Para colocar a teoria em prática.

TÓPICOS RELACIONADOS

EDITOR INDICA

RECEBA NOSSAS MATÉRIAS