Utilizamos cookies e tecnlogias semelhantes a fim de melhorar sua experiência no site. Ao continuar você concorda e aceita nossa  Política de Privacidade  

ANÁLISES & NOTÍCIAS SOBRE VEÍCULOS COM EMISSÃO ZERO

HOME CARROS MOTOS BIKES TECH MERCADO RACING STARTUPS CONTATO PESQUISAR

Primeiro elétrico da Citroën no Brasil, furgão E-Jumpy chega ao preço de R$ 329.990

Além do apelo à sustentabilidade, montadora aposta em atributos como menores custos de manutenção, ausência de ruídos e tecnologia para atrair clientes profissionais

Por |
Lançamento do Citroën Ë-Jumpy concretiza primeiro passo da estratégia eletrificada da montadora francesa no Brasil – Foto: Divulgação Citroën

A Citroën lançou o primeiro veículo puramente elétrico da marca no Brasil: o Ë-Jumpy. Versão eletrificada do furgão Jumpy, presente no mercado nacional desde 2017. Ao preço de R$ 329.990 o modelo elétrico mira sobretudo o segmento profissional.

“O Ë-Jumpy é o primeiro passo da Citroën em direção à eletrificação no Brasil e na América do Sul, conforme apresentamos no início de novembro em nosso plano estratégico, o Citroën 4 All. Ele chega para ser o parceiro ideal e atender às necessidades de mobilidade de todos os profissionais, sejam grandes frotistas ou profissionais autônomos que optem por um veículo elétrico, versátil e eficiente para suas atividades diárias”, afirma Vanessa Castanho, Head da Citroën na América do Sul.

O Citroën Ë-Jumpy é equipado com conjunto de baterias de 75 kWh, e o motor elétrico do furgão entrega 260 Nm de torque (26.5 kgfm) e 136 cavalos de potência (100 kW). Trem de força que confere ao furgão autonomia de 330 km (padrão Inmetro).

Aliado ao apelo eletrificado do furgão, há plano para atrair clientes. Sustentado em atrativos como economia de 60% no plano de revisões em relação à versão a combustão, garantia de 8 anos ou 160 mil km para o conjunto de baterias, e programa para descarte dos conjuntos de baterias ao fim da vida útil.

Para assegurar recargas aos clientes Citroën firmou parceria com WEG, que oferecerá carregadores e consultoria técnica. Já para encontrar eletropostos os clientes contarão com o CART. Por meio da parceria com a startup Tupinambá, a plataforma exibirá mais de 750 pontos de recargas em todo o País. Segundo Citroën, auditados pela equipe da Tupinambá, a fim de garantir aos motoristas acesso a equipamentos em funcionamento.

Visão Zev.News

Embora Citroën use o termo profissionais, muito provavelmente, a maior demanda pelo Ë-Jumpy terá perfil mais específico: empresas com operações logísticas nos grandes centros urbanos. Atentas aos benefícios que a sustentabilidade pode conferir em termos de negócios – sobretudo exposição e impulso de imagem.

Ademais, para estas empresas adotar hoje veículos elétricos significa adaptar-se antecipadamente aos padrões futuros.

Na outra ponta, para Citroën, significa oferecer opção a clientes dispostos a desembolsar algumas centenas de milhares de reais por um veículo elétrico. Operacionalmente, estes veículos circulam frequentemente pelas mesmas rotas, independem do Calcanhar de Aquiles causado pela ainda limitada rede de pontos de recargas.

A dinâmica das frotas elétricas é a seguinte: os veículos carregam na base (garagem) ao longo da noite, onde estão (ou serão) instalados os carregadores, e realizam no dia seguinte os trajetos com tranquilidade. Normalmente, estes veículos percorrem até 200 km por dia. Assim, em tese, nem mesmo os mais caros carregadores de alta velocidade são necessários à operação.

Ao analisar os dados de emplacamentos dos três primeiros trimestres deste ano, o veículo puramente elétrico mais emplacado num mês foi a van elétrica BYD T3 (82 unidades em junho). Em boa medida, resultado da criação de uma frota elétrica por um grande varejista. O que corrobora a inclinação destes clientes à aquisição de veículos comerciais elétricos. E constitui para Citroën nicho de mercado que pode ultrapassar uma centena de unidades nos próximos meses.

TÓPICOS RELACIONADOS

EDITOR INDICA

RECEBA NOSSAS MATÉRIAS