Utilizamos cookies e tecnlogias semelhantes a fim de melhorar sua experiência no site. Ao continuar você concorda e aceita nossa  Política de Privacidade  

ANÁLISES & NOTÍCIAS SOBRE VEÍCULOS COM EMISSÃO ZERO

HOME CARROS MOTOS BIKES TECH MERCADO RACING STARTUPS CONTATO PESQUISAR

Como é correr o Cake Worlds? Respondemos de dentro da pista!

Kalk e percurso são receptivos aos pilotos, porém, é necessário atenção à ciclística da moto e habilidade em duas rodas para chegar na frente

Por |
Dylan Gaszek sentiu similaridade entre trechos do percurso do Cake Worlds em Del Mar e pistas de Supercross - Foto: Divulgação Cake Worlds

Concluída a primeira parada do Cake Worlds, em Del Mar, na Califórnia, a nova vertente do motocross concretizou algo há muito aguardado pelos aficionados por duas rodas: colocar numa mesma prova em parâmetros equiparáveis pilotos de motocross e downhill.

Mas o que viabilizou a mescla? Como é correr no Cake Worlds? E com base na primeira parada em Del Mar, é possível esperar pilotos de outras modalidades nas primeiras posições em etapas futuras?

Para responder as perguntas, recorri a quem estava dentro da pista em Del Mar.

Adaptados em 10 minutos

Todos os pilotos no Cake Worlds aceleram a elétrica Cake Kalk OR. Por conta das características da moto, o modelo possui o que chamo de “receptividade ciclística”. Refiro-me à facilidade proporcionada pela leveza, entrega linear de potência e ausência de marchas. Todos os comandos estão no guidão. Há apenas o freio dianteiro e o traseiro, este no lugar habitual do manete de embreagem.

Quem traduz a receptividade ciclística em tempo de adaptação é JP Baralo, francês responsável pela coordenação esportiva do Cake Worlds: “Em 10 minutos os pilotos estavam adaptados às motos”. Cabe assinalar que boa parte dos competidores teve o primeiro contato com a Kalk na ocasião do evento em Del Mar.

Um dos competidores na categoria profissional - que também ajudou na organização - em Del Mar foi americano Daniel Sedlak, piloto de motocross e treinador da modalidade, versado em diferentes tipos de pilotagem fora de estrada. Que aponta aspecto bastante importante para sintonizar-se à moto:

“O guidão está montado à frente da suspensão, o que confere a sensação de estar bem à frente pela primeira vez em que se fica em pé. Uma vez adaptado à posição incomum, a moto torna-se muito fácil de pilotar, e muito divertida para correr”, detalha Sedlak.

Conceitualmente os traçados do Cake Worlds são curtos e construídos em áreas compactas (70 x 70 metros). Especificamente em Del Mar, na visão de Sedlak, o percurso conciliou seções rápidas e fluídas a curvas lentas e fechadas. Sedlak acrescenta que por conta das características das suspensões da Kalk – menos robustas do que as motos cross tradicionais – os saltos e costelas eram relativamente simples. E atribui como chave para ganhar velocidade na pista manter a moto no chão (tracionando) o maior tempo possível.

“Em Del Mar me senti pilotando uma 125 dois tempos, porque era necessário carregar a velocidade e extrair tudo da moto para ser competitivo”, descreve Daniel Sedlak.

Dylan Gaszak, piloto de motocross e vencedor da categoria amador em Del Mar, descreve o traçado como fluído e técnico. “Com curvas até lembrando trechos do Supercross - técnicos e divertidos”. E credita a vitória à “pilotagem rápida, suave e sem contratempos”.

E quanto a outras modalidades?

Sedlak considera o percurso em Del Mar mais desafiador comparado à edição inaugural na Suécia. O que explica o encaixe de pilotos vindos do motocross e downhill ao Cake Worlds. Todavia, ressalta: seria interessante BMXers futuramente no circuito.

A próxima etapa do Cake Worlds será na França, em 16 e 17 de julho, e JP Baralo espera participação expressiva de pilotos de enduro. Em razão do volume destes pilotos no país, e da proximidade à Itália, outra região de contingente significativo de pilotos da modalidade.

Vale lembrar: na Suécia em 2021 a segunda posição ficou com Robert Kvarnstrom, que além de contribuir para o desenvolvimento da categoria Cake Worlds, tem suas bases no enduro.

TÓPICOS RELACIONADOS

EDITOR INDICA

RECEBA NOSSAS MATÉRIAS